bjpafa

Entre

A cabeça às vezes dói sem diagnóstico 
a boca cala sem razão e emudece
o dedo, não desenha palavras desejadas
caminhos obscuros que o corpo tece.

Corpo, energia suporta o todo,
porta que abre mas nem sempre,
caindo a maladie como um desiquilíbrio
perdendo-se o sujeito no entre.

Entre emoções, entre pulmão e infecão
é tão grande a medicina que ela mesma
se reconhece menor
 que uma enchaqueca.

Entre dores e alegrias.
A razão de garatafunhar arrazoados de desprezível qualidade,

sem qualquer propriedade,  isso é o mistério da futilidade.

Saudade de mim quando funcionava.



Para poder comentar y calificar este poema, debes estar registrad@. Regístrate aquí o si ya estás registrad@, logueate aquí.