carminhanieves

PARA TI, AMIGO

 

 .

 

 

Em ti vive a minha vontade de viver. Em ti há a luz da alvorada que inunda o meu quarto e me acorda. Em ti há a força de querer vencer a nostalgia que por vezes me entorpece. Em ti encontrei o que nunca tive. Na simplicidade da tua maneira de ser, sem fingimentos, quase rude no teu estar, a doçura como capa tudo cobre e somente fica a tua bondade.

Diferentes em quase tudo, desde a idade, até ao complicado saber estar e fazer a diferença, quando em publico, somos a exepção . És como se o meu Anjo da guarda se fizesse homem.  Contigo modifiquei para melhor. Nunca saberás o quanto te estimo.

Eternamente grata a Deus por ter cruzado os nossos destinos. Nunca pensei ter esta graça, mas tenho pena, muita pena de não termos nascido no tempo dos dois.

Mesmo assim, sinto que somos a diferença entre os outros. Misto de crianças inocentes e adultos conscientes, somos incompreensíveis para todos.

É bom e o sorriso que temos em comum é espontâneo, sem pensar sem obrigar os nossos olhares cruzam-se cúmplices

Sem esperança, vivi, sem alegria também, molhada pela chuva chorando andei sem destino acompanhada da impotência de nada poder fazer.

Amei quem nunca me amou. Desejei o que nunca alcancei. Hoje em ti de mãos dadas, sinto que não estou só.

Não é amor, nem desejos ocultos, é somente ternura e carinho que é o melhor que poderia ter. Obrigada por tudo. E peço perdão por muitas atitudes que tive e nunca as deveria ter tido.

Se soubessem como somos e como vivemos, ninguém apontaria o dedo com maus pensamentos e tentariam ser como tu.

No meu amanhecer quase ocaso, sou alguém que tarde mas ainda a tempo, tem o que de melhor a vida pode dar.

Porto 3 de Maio de 2017

Carminha Nieves

 



Para poder comentar y calificar este poema, debes estar registrad@. Regístrate aquí o si ya estás registrad@, logueate aquí.