carminha nieves

DIVAGANDO

Quero sentir sensações, sentimentos, desejos, quero amar e sentir que também sou amada, ter mãos suaves que me acariciem.

Nas noites frias de inverno um corpo quente onde enroscar-me como era no tronco de uma árvore. Ouvir o toque do telefone e correr para atender e ouvir a voz doce de alguém. Quero ser um todo sem corpo, só a alma e coração por muito tempo sentir que sou mais que cinza e pó.

Que os meus olhos possam ver as madrugadas, frescas e límpidas, o ocaso cor purpura e alaranjada, imaginar o fim do oceano onde o sol se esconde.

Ouvir o chilrear dos pássaros, músicas inacabadas, que nos dão calma e por vezes pranto. Ter inteligência para compreender e conseguir emendar o que por ignorância faço mal.

Afinal pouco me contenta, basta ter o dom de viver o meu interior, que é só meu.

Atravessei pontes, subi montes, pisei terra molhada descalça, senti a natureza a renascer em cada primavera.

Sempre só, entre muitos. Sempre acompanhada mas só. Critico os meus defeitos, choro por muita coisa que queria ter e não posso, talvez algumas já as tive, mas o tempo roubou-mas. Mas o firmamento é como o mar devolve tudo novamente de maneira diferente no seu aspecto. Mas no fim é o mesmo, nós é que já não somos o que fomos.

Caminho perdido, em lugar nenhum, sombras de quem fez parte da minha vida e que com dor tive que me despedir para sempre.

Sombras indeléveis, que vagueiam junto a mim, dos entes queridos que terminaram o seu tempo de viver. Sinto-os e gosto, uma saudade doce invade-me, somente falo com o coração e lhe digo olá.

Talvez em lugar nenhum serei sombra e acompanharei a quem me amou e eu amei.

Porto, 29 de Julho de 2014

Carminha Nieves

 

 

Comentarios2

  • ✫•°˜°•✫ *★* Alexa Danyith✫•°˜°•✫ *★*

    Que bella reflexion querida amiga saludos

  • boris gold

    No es para desesperar,si has caminado una vida con sus más y sus menos y has dejado huellas, no tienes nada que reprocharte.
    Un abrazo

    • carminha nieves

      Lo se, solamente he dejado de vivir por los demás, ahora son ellos que no quieren que yo viva.
      Eso no lo acepto.
      Un abrazo con amistad sincera.
      Carminha Nieves



    Para poder comentar y calificar este poema, debes estar registrad@. Regístrate aquí o si ya estás registrad@, logueate aquí.